Clique na imagem para ver e baixar o livro 

Ir. Marianne Dacy retrata o papel da Congregação nas relações judaico-cristãs da Austrália ao longo dos últimos 60 anos em seu livro de 32 páginas, intitulado: Winds of Change – the Contribution of the Sisters of Our Lady of Sion to Jewish/Christian Relations in Australia: 1960s – 2020+ (Ventos da Mudança: a Contribuição das Irmãs de Nossa Senhora de Sion às Relações Judaico-Cristãs na Austrália – 1960 a 2020 e anos vindouros — em tradução livre).

 

Eis abaixo o prefácio ao livro:

A compreensão progressiva de Sion sobre sua razão de ser no seio da Igreja Católica e o subsequente compromisso assumido pelas Irmãs relativamente ao diálogo judaico-cristão no mundo inteiro e, especialmente, na Austrália, resultaram de diversos fatores: reflexão sobre o sofrimento dos judeus na Europa durante a 2ª Guerra Mundial, escuta ativa das vozes proféticas na era pós-guerra e a coragem na tomada de decisões pela liderança da Congregação. As atrocidades da Shoá foram um catalisador para uma mudança radical de mentalidade na forma através da qual a Congregação interpretava sua vocação. De 1950 até a reformulação das Constituições em 1984, a Congregação, através dos Capítulos Gerais subsequentes, implementou mudanças radicais nas orações das Irmãs, nos ministérios apostólicos e, de fato, na interpretação de sua motivação existencial e, assim, transformou a orientação de toda a vida da Congregação.

O livro “Ventos da Mudança” reflete o cenário da Austrália e, como denota o título, captura a progressão realizada desde a ideia da conversão até o encontro com os judeus. Após 1962, após estudar em Jerusalém, Ir. Shirley Sedawie voltou à Austrália para fundar o Centro para Diálogo Judaico-Cristão. As atividades iniciais desempenhadas por esta irmã lhe permitiram fazer bastante contato com os judeus, e outras irmãs se juntaram a ela. Em 1967, Ir. Shirley tornou-se integrante da Comissão para Assuntos Católicos e Ecumênicos. Em 1970, uma casa foi comprada em Kew para o Centro, que recebeu o nome de “Shalom: Centre for Jewish/Christian Dialogue”. Em 1986, a sala de reunião da casa Shalom passou a ser utilizada mensalmente pelo Conselho de Cristãos e Judeus (fundado em 1985), pelo Grupo de Trabalho do Conselho das Igrejas de Victoria e do Grupo de Trabalho da Comissão de Assuntos Ecumênicos.

Em 1980, o trabalho de Sion foi expandido para Sydney e lá continuou até o início de 2017. Durante aquela época, foram fundados também o New South Wales Council of Christians and Jews e o Archive of Australian Judaica na Universidade de Sydney, e foi mantido um contato próximo com a comunidade judaica.

 

Sobre a autora

Ir. Marianne é a Secretária do Conselho Australiano de Cristãos e Judeus. Estudou na Hebrew University of Jerusalem e tem doutorado pela Universidade de Sydney, onde comandou o arquivo “Archive of Australian Judaica” por mais de 30 anos. Atualmente, Ir. Marianne continua a pesquisar o cristianismo e o judaísmo, além de atuar ativamente na promoção de encontros e aproximações entre judeus e cristãos.

 

site by airgid